Seguidores

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Dá-me um sonho que seja nosso...

De memória em memória atravesso-te
nas minhas lágrimas ainda restam alguns sonhos
procuro palavras,procuro-te...

Silêncio e mais silêncio
o vazio a realidade o sonho
o sorriso nos lábios de um amor triste...

Grito surdo,sonho de poeta
na noite escura o teu olhar fulmina-me
dá-me um sonho que seja nosso...


Manuel Marques (Arroz)

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Fica em mim esta noite...

Vagueio na escuridão da noite
nos meus sonhos há fragmentos de solidão
sombrias madrugadas de ilusão


Nem sempre da janela do meu quarto encontro o sonho
são inocentes os meus olhos quando te olham
e no silêncio da noite a alma resiste .

Fica em mim esta noite
até que tudo se dissolva em sonhos
abraça-me e envolve-me de amor.

Manuel Marques (Arroz)

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Noite.

Busco no teu leito o amor
amor virgem apaixonado
contigo encantarei a noite...

O tempo é tudo
saudade e memória
a minha voz  o silêncio profundo...

Abandono-me ao silêncio
quanto mais habito a noite mais te amo
o meu amor é maior que o mundo...


Manuel Marques (Arroz)

quinta-feira, 18 de maio de 2017

A cor da tua alma...

É na noite
que me deito a teu lado
enquanto te beijo
invento palavras
descrevo a cor da tua alma...

Resta-me uma dor suave
porque me amaste
assim me disse o teu olhar...

Manuel Marques (Arroz)

sábado, 6 de maio de 2017

Ternura do amanhecer...

Somos o simples fluido do vazio
apenas resta um silêncio interminável
para o meu coração basta o teu peito
e o que mais quero é um abraço teu...


Em cada noite existe uma morte silenciosa
olhares perdidos no delírio das razões
e na ternura do amanhecer apenas queria acordar nos teus braços...

Manuel Marques (Arroz)

domingo, 2 de abril de 2017

E no teu corpo sem margens o amor é infinito...

Sonhei-te no vazio da tua ausência
nos silêncios da minha fantasia
doce e suave  era a tua pele que amava no teu corpo...

Amei-te em muitas palavras
outras fizeram-me amar-te muito mais
e no teu corpo sem margens o amor é infinito...



Manuel Marques (Arroz)

sábado, 11 de março de 2017

Secreta distância em que te toco...


Vivo em teu corpo nu
viajo por labirintos e durmo com a saudade
não sei se o mundo existe,se nós existimos...

Ainda sinto na minha boca a volúpia ardente dos teus beijos
os teus seios,cheios de lua cheia
o teu corpo vibrante de desejos...

Vivo dos silêncios onde guardo o teu amor
existência incerta que procuro
na secreta distância em que te toco...

Manuel Marques (Arroz)